Coma peixe com moderação

Comer peixe faz bem, mas a origem do peixe que consumimos se revela muito importante!

A ação do homem em produzir para vender em grande escala nos trouxe certos absurdos. O exemplo mais conhecido é o que ocorre com o salmão.

O salmão de origem selvagem tem todos os benefícios, rico em proteínas de boa qualidade, omega-3, vit D e E…

Entretanto o criado em fazendas, podem ser alimentados de rações e até mesmo corantes para conferir a coloração rosada característica do peixe, deixa a desejar. Sem falar nas grandes distâncias que os selvagem tem que percorrer no seu curso de vida, tornando-o mais saudável.

sistema_nervoso2Os peixes de forma geral, acabam assimilando metais pesados dos mares, mais uma consequência da poluição marinha. O mercúrio associa-se com repercussões no sistema nervoso central em desenvolvimento, para o caso de grávidas o consumirem.

Outros metais pesados podem ter influência sobre o sistema endócrino e imunológico. Apesar do alerta gerado pela comunidade científica devemos manter o consumo dos peixes.

A American Heart Association (AHA) recomenda um consumo de 170-340g de peixe gorduroso por semana. Esta recomendação está alinhada com a recomendação do FDA e com o departamento de proteção ambiental norte americano, que sugere que o consumo de até 340g de peixe ou molusco é seguro.

Fiquemos então atentos com a origem do peixe que chegam até nossas mesas e vamos continuar consumindo-os, mas não devemos ultrapassar o limite de segurança sugerido.

 

 

atenção para comer peixe

 

 

Foco, impacto e criatividade

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!>

Sobre Daniel Coriolano

Daniel Coriolano possui graduação em medicina pela Faculdade de Medicina de Juazeiro do Norte (2011) e residência médica em Medicina de Família e Comunidade pela Universidade Federal do Ceará – UFC (2013-2015). O médico também é diretor executivo da Núcleo M.D., empresa de eventos de desenvolvimento profissional e pessoal na área da saúde. Atualmente também é professor da graduação em medicina da Universidade de Fortaleza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *